Projetos comunitários em BH são exemplos de integração de políticas públicas

Neste sábado (19.03) estive no Aglomerado da Serra, em BH, junto com o vereador Pedro Patrus, para visitar os projetos comunitários Espaço Cultural Vila Aparecida e o Projeto Itamar, ações que mostram a força, o espírito de união, a esperança e a sensibilidade de pessoas que estão fazendo a diferença na vida dessas comunidades.

 

Terceiro maior aglomerado da América Latina, o Aglomerado da Serra sempre foi exemplo de organização popular e efervescência cultural, desde que fui prefeito de Belo Horizonte, quando iniciamos os projetos de requalificação das vilas e favelas e ações como o Orçamento Participativo. Difícil não lembrar de dona Dalila, já falecida, dona Lourdes e tantas outras lideranças.

Fiquei muito emocionado ao ver a garra e a dedicação de pessoas como Janete, Carlos Eduardo (Du Pato), Marcelo Lins e Ramon GDI, dentre outros, que há quase três anos resgataram o Espaço Cultural Vila Aparecida para oferecer à comunidade atividades culturais e educativas, como dança e aulas da jovens e adultos.

 O local é referência para outras atividades que o grupo desenvolve, entre elas a distribuição de cestas básicas, o bloco carnavalesco Rola Cansada, a escola de futebol Garoto da Igrejinha (GDI) – que treina 160 meninos nas ruas da Vila e utilizam o campo de futebol “Bola de Ouro” para partidas – e a produção de filmes, pelo artista Marcelo Lins. “Ninguém faz nada sozinho e tudo que fazemos é para a comunidade”, foram as palavras do Ramon que me marcaram muito.

Depois visitamos o Projeto Itamar com a companheira Luiza Dulci, um espetáculo de projeto, que oferece várias ações transversais que são uma verdadeira aula de integração de políticas públicas: aulas de taekwondo; Mesa Solidária, para ajudar as famílias com alimentação; aulas de informática, projetos de hortas domésticas e Crianças da Horta, Cine de Favela, Hora da Leitura, projeto de atenção aos animais de empréstimos de materiais de apoio à saúde, tantas ações que o espaço aqui é pequeno para listar.

Cultura, saúde, agroecologia, esporte, literatura, desenvolvimento sustentável, assistência social. Ações tocadas por lideranças como Itamar, que iniciou o projeto em 2005; Fernanda Benevides, coordenadora; Ju Celestino e Patrícia Prudêncio, entre outros colaboradores.

Encerrei a manhã com as energias renovadas por um almoço divino, preparado com produtos da horta, na casa da Fernando e do Itamar, mas alimentado principalmente de esperança e da energia deste pessoal que não se deixa abater, que constrói na prática o que queremos para a nossa cidade e para o nosso país. Contem conosco!

Posts relacionados