Programa Future-se tem vício de origem e deve ser arquivado

Durante audiência promovida pela Comissão de Educação da Câmara, na quinta (15), entidades e parlamentares criticaram o programa Future-se editado pelo governo Bolsonaro.

Todos sugeriram o arquivamento da proposta por vício de origem. Os segmentos reclamam da ausência de discussão sobre o tema e, na avaliação da maioria dos debatedores, a proposta abre caminho para a privatização do ensino superior do País.

Patrus Ananias, com os deputados Pedro Uczai (PT-SC), Alencar Santana Braga (PT-SP) e Natália Bonavides (PT-RN), subscreveram o requerimento que deu origem à atividade. O debate foi proposto pelos parlamentares Professora Rosa Neide (PT-MT), Margarida Salomão (PT-MG) e Waldenor Pereira (PT-BA).

Link para matéria original: https://ptnacamara.org.br/portal/2019/08/15/programa-future-se-tem-vicio-de-origem-e-deve-ser-arquivado-afirmam-entidades-e-parlamentares

Patrus é homenageado pela UFMG por seu apoio à universidade

Recebi hoje, com muita emoção, homenagem da reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, pelo apoio à instituição.

O reconhecimento foi estendido aos parlamentares da bancada mineira, que como eu destinaram recursos para a UFMG. Segundo a reitora, são esses recursos que permitiram fechar as contas em 2018. Para além das emendas, considero as universidades um espaço essencial para o desenvolvimento nacional. Todo meu apoio à Educação e à Pesquisa, públicas e de qualidade. 61932243_2346349922096136_6595161027355082752_n 61657911_2346349808762814_2119126354061426688_n 61720611_2346350208762774_3065146923104075776_n

Muitas bandeiras, muitas lutas: nas ruas pela Educação

Galeria

Esta galeria contém 19 fotos.

A manifestação contra o corte de verbas na educação foi também momento de outras lutas e movimentos sociais irem para as ruas. Foi o momento de ouvir que “A nossa luta unificou / É estudante junto com trabalhador”, logo depois … Continuar lendo

Deputados da oposição obstruem votações contra o corte do orçamento da Educação

Deputados da oposição OBSTRUÍRAM todas as votações da sessão ordinária de ontem da Câmara em protesto ao corte de 30% do orçamento das universidades e dos institutos federais, anunciado pelo Ministério da Educação.

A intenção da oposição é obstruir todas as votações em plenário até que o governo Bolsonaro recue no corte orçamentário imposto às universidades e aos institutos federais.

O deputado Patrus Ananias participou da reunião da Frente Parlamentar Pela Valorização das Universidades Federais que decidiu pelo enfrentamento ao governo Bolsonaro, a começar pela obstrução das votações na Câmara.

59745203_2300166476714481_4431192586203430912_o

A Frente decidiu ainda estudar medidas legais que revertam os cortes orçamentários; articular com as demais frentes do ensino superior público ações que repercutam na mobilização em defesa da educação superior pública; requerer urgência para a votação do PLP 08/2019, que determina que os recursos do Orçamento da União para as universidades públicas federais e os institutos federais não sejam objeto de limitação de empenho e movimentação financeira, entre outras medidas.

DEFENDER A UNIVERSIDADE É DEFENDER A SOBERANIA BRASILEIRA

A soberania do Brasil está estreitamente vinculada à capacidade de produção de conhecimento, ao ensino de qualidade, público e gratuito. Com esta motivação, encontrei-me com a reitora da UFMG, professora Sandra Regina Goulart Almeida, nesta sexta-feira (15.03), para estreitar parceria e reiterar o compromisso do mandato com a defesa da universidade pública.

Compromisso que se materializa nos investimentos já feitos na UFMG, por meio de emendas parlamentares de minha autoria. Somente em 2019, foram encaminhadas emendas no valor de R$ 1 milhão e 320 mil, destinadas a obras de infraestrutura e fomento a ações de graduação, pós-graduação, ensino, pesquisa e extensão. Em 2018, os valores alcançaram R$ 400 mil, e no ano anterior, 2017, somaram R$ 650 mil.

As universidades públicas estão sendo duramente atingidas por medidas do governo federal, entre elas, o Decreto nº 9.725, de 12 de março de 2019, que extingue 21 mil funções comissionadas e gratificadas; e o Protocolo de Intenções para investigar supostos indícios de corrupção no MEC, assinado pelos ministros da Justiça e Segurança Pública, e Educação, em 14 de fevereiro. A chamada “Lava Jato da Educação”.

54190773_2220338411363955_6531187695639592960_n

O encontro contou com a participação do vereador de BH, Pedro Patrus, do vice-reitor, Alessandro Fernandes Moreira, e da diretora de Cooperação Institucional, Ana Flávia Machado.