Patrus e Maria do Carmo contra a venda do voto e a omissão nas eleições

Em pré-campanha no bairro Jardim Teresópolis, em Betim, Patrus e Maria do Carmo conclamaram seus apoiadores a se mobilizarem contra a venda do voto e contra a omissão dos eleitores.

“Digam às pessoas que não vendam seu voto”, recomendou Maria do Carmo, pré-candidata do PT a deputada estadual. “Temos que dizer às pessoas que não votar, votar branco ou votar nulo é votar a favor dos piores”, afirmou Patrus, pré candidato à reeleição para a Câmara dos Deputados.

38020204_1900005190063947_5687499695996272640_n

A reunião no Jardim Teresópolis, na noite de segunda-feira, teve a presença de dezenas de moradoras e moradores, inclusive de outros bairros de Betim, e foi organizada pela militante petista Paula Neres.

38254846_1900005206730612_9017749193363554304_n

Patrus no Encontro do Movimento Familiar Cristão

Patrus foi recebido hoje com imenso carinho no Encontro do Movimento Familiar Cristão. Neste ano, o deputado apoiou o movimento com emenda de 100 mil reais para auxiliar nas ações de proteção social básica realizadas no local.

38152741_1898815550182911_256389455714189312_n 38064125_1898815806849552_1309220930785902592_n 37989660_1898816006849532_4541925536108118016_n 38123002_1898816046849528_841961865171959808_n

Patrus em entrevista: “A saída é fortalecer os movimentos populares”

“Na semana em que começa a Caravana Semiárido contra a Fome, organizada pela Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), Patrus concedeu uma entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, na qual fala do recém-divulgado dado de crescimento da pobreza extrema depois do golpe de estado de 2016, as razões e as saídas para essa triste realidade.”

Entrevista completa em: https://www.brasildefato.com.br/2018/07/30/patrus-ananias-a-saida-e-fortalecer-os-movimentos-populares/

42960776224_9af8494350_z

Patrus: precisamos interromper o desmonte social do Brasil

O deputado Patrus Ananias falou em evento no Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região. Na conversa com líderes dos bancários de Belo Horizonte e região, Patrus destaca que o golpe contra a democracia tem causado agravamento das questões sociais a olhos vistos, com aumento de população em situação de rua, da pobreza, da mortalidade infantil.

Mas as pessoas estão percebendo isso, resultando em resistência em relação aos golpistas e ao desmonte dos direitos sociais.

Patrus: “Nossa referência não é o lucro, é saber se cada brasileiro tem uma vida digna.”

Na Roda de Conversa junto do deputado estadual André Quintão, Patrus reafirma seu compromisso maior na política – a dignidade dos brasileiros, especialmente os que mais pobres que foram historicamente ignorados.

Patrus: “Educação no campo deve chegar a todos os agricultores familiares rurais”

A população brasileira rural é muito maior do que temos noção em nosso cotidiano. Mais de 70% dos municípios brasileiros tem menos de 20 mil habitantes – são municípios com fortes características rurais, que devem ser entendidos dessa maneira para estratégias de desenvolvimento regional.

O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) apóia projetos de educação voltados para assentados da Reforma Agrária, quilombolas e acampados cadastros pelo Incra. Mas é o momento de expandir as ações do Pronera também para todas agricultoras e agricultores familiares do Brasil, que são boa parte da população destes municípios rurais. E também todos os indígenas, todas as populações tradicionais do Brasil.

O Pronera é essencial e um grande fator de desenvolvimento. Deve ser valorizado dessa forma, chegando a toda a população rural de nosso país.

A fome e a pobreza extrema trazidas pelo Golpe: “uma página virada do Brasil está de volta”

Patrus fala sobre a volta de pessoas pedindo esmola e comida nas ruas depois de o Brasil ter saído do Mapa da Fome nos governos Lula e Dilma: “o que parecia uma página virada na história do Brasil está de volta”.

Ele também denuncia que a CPI Incra-Funai — instaurada na Câmara Federal e que, teoricamente, destinava-se a apurar eventuais irregularidades — tinha o objetivo de acabar com qualquer tipo de demarcação de terra indígena, quilombola, comunidades e populações tradicionais.

Patrus se filia à Associação Brasileira de Juristas pela Democracia

Ao discursar na sede mineira da Associação de Defesa da Classe Trabalhadora, Patrus se tornou um dos primeiros filiados da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia de Minas. Durante sua fala, o deputado reafirmou seu compromisso de lutar a favor da liberdade, da justiça social e do Estado Democrático de Direito.

Patrus se emociona ao relembrar Betinho, seu “irmão de coração”

O deputado homenageou o sociólogo e “irmão de coração” Herbert de Souza, seu conterrâneo, em entrevista a Ricardo Sena, da Rádio Clube. A lembrança ocorreu quando Patrus falava de sua luta para que toda criança “desde o ventre materno, seja bem acolhida e tenha as mesmas oportunidades de desenvolver seus talentos e seus dons” — sonho que ecoa as grandes lutas de Betinho.

Os setores mais arcaicos do “agronegócio” desencadeiam a violência

Deputado Patrus fala sobre o massacre do Pará, no qual 10 trabalhadores rurais foram assassinados em Redenção: é preciso pôr fim à violência desencadeada pelos setores mais arcaicos do chamado agronegócio, herdeiros diretos da escravidão, da casa-grande e do coronelismo.