Patrus e Maria do Carmo contra a venda do voto e a omissão nas eleições

Em pré-campanha no bairro Jardim Teresópolis, em Betim, Patrus e Maria do Carmo conclamaram seus apoiadores a se mobilizarem contra a venda do voto e contra a omissão dos eleitores.

“Digam às pessoas que não vendam seu voto”, recomendou Maria do Carmo, pré-candidata do PT a deputada estadual. “Temos que dizer às pessoas que não votar, votar branco ou votar nulo é votar a favor dos piores”, afirmou Patrus, pré candidato à reeleição para a Câmara dos Deputados.

38020204_1900005190063947_5687499695996272640_n

A reunião no Jardim Teresópolis, na noite de segunda-feira, teve a presença de dezenas de moradoras e moradores, inclusive de outros bairros de Betim, e foi organizada pela militante petista Paula Neres.

38254846_1900005206730612_9017749193363554304_n

A Marília Campos, toda minha solidariedade e apoio

A escalada de intolerância que nossos adversários políticos vêm protagonizando em Belo Horizonte, em Minas, no Brasil, ATINGIU ONTEM nossa amiga e combativa deputada estadual Marilia Campos.

Ela foi agredida durante panfletagem na Praça Sete em defesa da liberdade do presidente Lula. Meu TOTAL APOIO e minha INTEGRAL SOLIDARIEDADE A MARÍLIA E AOS MILITANTES PETISTAS que tem ocupado espaços para denunciar a prisão política e injusta de Lula.

SIGAMOS NAS RUAS!!
Por Lula Livre e pela democracia!

11130189_365793820278561_401358698837619285_n

A democratização da comunicação é um eixo da democracia

Faz hoje dois anos que uma vergonhosa sessão da Câmara dos deputados afastou Dilma da Presidência e abriu espaço para o desmonte dos direitos sociais, das garantias trabalhistas e dos investimentos que chegaram a fazer do Brasil uma potência mundial.

Parte essencial da democracia é a comunicação. E a solidez da democracia só se alcança com a democratização dos próprios meios de comunicação.

Sempre defendemos a liberdade de imprensa, desde a ditadura, quando vários veículos de comunicação se aliaram aos ditadores e à censura que vinha do poder. Mas não é possível que 4 ou 5 famílias controlem a comunicação no Brasil, muitas vezes associadas aos anunciantes. Democratização dos meios significa vozes diversas sendo ouvidas, debates mais amplos, melhores análises e a realidade dos fatos, sem as distorções que interessam aos que hoje controlam a comunicação no Brasil.

A IMPRENSA E O ÓDIO CRIMINOSO: uma polarização arquitetada

por Patrus Ananias

Nos últimos anos, temos acompanhado no Brasil duas grandes ações bastante explícitas: o incentivo à polarização política/social e a guerra midiática e jurídica contra o presidente Lula. Tais ações se confundem por diversas vezes, gerando efeitos ainda mais perversos do que o esperado. No último fim de semana, chegaram ao ponto de cometer um crime nas páginas de uma revista semanal – o artigo “Lula deve morrer” tem em seu título uma incitação ao crime, artigo 286 do Código Penal Brasileiro. Seu autor e a revista na qual foi publicado serão devidamente processados pelo ato criminoso declarado.

Desde os tempos da ditadura, quando lutávamos pela liberdade de expressão e de imprensa, sabíamos que essa luta nem sempre era acompanhada pelos próprios veículos da chamada “imprensa tradicional”, os quais muitas vezes tinham seus interesses alinhados com os ditadores no poder. Mais uma vez, a imprensa demonstra nesse episódio de que lado está e de que forma se comporta.

A exploração da polarização na sociedade brasileira e a guerra aberta contra Lula chegaram ao nível de permitir uma incitação ao crime estampada nas páginas de uma revista semanal. Ao longo deste processo, a fragilização da sociedade vêm permitindo que roubos de direitos e do patrimônio brasileiro aconteçam semanalmente.

Somente com a reunião e com a coragem das pessoas de boa vontade, dos que acreditam em um projeto de desigualdade e progresso para o Brasil, podemos nos levantar contra a destruição social que se espalha e que toma inclusive a forma de uma ameaça criminosa contra um ex-presidente.

O que está por trás do ‘Escola Sem Partido’?

Tatiana Carlotti para o portal Carta Maior 

O retrocesso na Educação e a grave ameaça à liberdade dos professores dentro da sala de aula são temas desta entrevista com o educador Fernando de Araújo Penna, doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF).
 Criador do site e da página no Facebook “Professores Contra o Escola Sem Partido”, Penna analisa o crescimento do Escola Sem Partido no Brasil, denunciando seu caráter ideológico e a forma tendenciosa como suas propostas estão sendo propaladas na sociedade brasileira. A ameaça de que essas propostas se tornem lei é concreta, aponta.
 São vários projetos de lei do Movimento, dois deles aguardam tramitação no Congresso Nacional: um na Câmara dos Deputados, o PL 867/2015 de autoria do deputado Izalci Lucas (PSDB); e outro no Senado Federal, o PL 193/2016 apresentado pelo senador Magno Malta (PR-ES). Continuar lendo