Na Greve Geral de 14/06, Patrus realiza “Aulão na Praça” em Teófilo Otoni

Integrando as atividades da Greve Geral, marcada para o dia 14 de junho em todo o país, Teófilo Otoni recebe o deputado federal Patrus Ananias para um “Aulão na Praça”, às 18h30, sobre a Reforma da Previdência e os Cortes na Educação.

Membro das comissões de Educação e de Constituição e Justiça, o parlamentar faz oposição à proposta de Reforma da Previdência, entre outros motivos, por ampliar a desigualdade social no nosso país e por retirar os direitos sociais da população, duramente conquistados nas últimas décadas. Muitos deles, previstos na Constituição e consolidados nos governos petistas.

Patrus Ananias luta para assegurar a autonomia universitária e a academia enquanto espaço de saber, de construção social e política, organicamente ligada à soberania nacional. Os cortes anunciados pelo governo federal colocam em risco a própria existência das universidades, que se veem sem recursos para manter as portas abertas.

Aulão na Praça – Reforma da Previdência e Cortes na Educação
Convidado: deputado federal Patrus Ananias
Local: Praça Tiradentes – Centro – Teófilo Otoni
Horário: 18h30

Patrus orienta Moção de Apoio a vereadora que perdeu filho no crime da Vale em Brumadinho

A pedido do deputado Patrus Ananias (PT-MG), a CPI do Rompimento da Barragem de Brumadinho enviou Moção de Apoio à vereadora Andresa Rodrigues (PT-MG), da Câmara Municipal de Mário Campos (MG), “pela situação que vive em decorrência da morte de seu filho na tragédia criminosa de Brumadinho”.

Segundo informações enviadas à CPI, a Câmara Municipal de Brumadinho indicou abertura de processo administrativo contra a vereadora por não ter respondido, em prazo estipulado, documento enviado a todos os vereadores, por estar envolvida na busca do corpo do filho, morto na tragédia de Brumadinho no dia 25 de janeiro.

Sensibilizados, os deputados da Comissão assinaram a Moção de Apoio à vereadora, encaminhada ao presidente da Câmara Municipal de Mário Campos, Josimar Silva Cardoso, na qual manifestam “preocupação com a dignidade humana, no sentido de preservar o pleno exercício do seu mandato e das suas atribuições parlamentares”.

“Rogamos à Vossa Excelência que dê conhecimento ao Plenário da Câmara do pedido de todos os deputado e líderes que assinam esta Moção, apelando ao senso de justiça e de solidariedade desta Casa, para não adicionar sofrimento nem punição a quem, por infortúnio, já foi gravemente atingida pela tragédia mencionada”, conclui a Moção de Apoio.

Também em defesa da professora e vereador Andressa Rodrigues, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) divulgou nota pública em (03/06), “CNTE exige respeito à professora e vereadora de Mário Campos (MG) Andresa Rodrigues”.

Mais informações em: https://www.cnte.org.br/index.php/comunicacao/noticias/21044-cnte-exige-respeito-a-professora-e-vereadora-de-mario-campos-mg-andresa-rodrigues.html 

CPI de Brumadinho – o risco é uma opção da Vale

Por razões de segurança, quase nenhuma mineradora grande usa o antigo modelo de navio petroleiro convertido para fazer o transporte de minério de ferro. Mas há uma empresa que ainda utiliza este modelo, mesmo um deles tendo naufragado com sua carga de 260 mil toneladas de minério em 2017: a Vale.

Isso é o que mais me entristece. Não há uma decisão comercial da Vale que não seja direcionada ao lucro mesmo que às custas de vidas humanas e danos ambientais irreversíveis. 260 mil toneladas de minério de ferro contaminando o Oceano Atlântico e a morte de 22 dos 24 membros da tripulação nada significam para a vale e sua sede por dinheiro.

Por emenda de Patrus, Miradouro recebe nova viatura da PM

A cidade de Miradouro conta agora com mais uma viatura da Polícia Militar, totalmente equipada para as atividades policiais, adquirida com emenda parlamentar do deputado Patrus.

A entrega do veículo aconteceu nessa 2ª (10), com a presença do prefeito Almiro Marques de Lacerda Filho (“Mirim”), seu vice, Marco Aurélio, e o assessor do deputado Patrus, Oldemar Montenari.62247059_2359455570785571_2258568321366491136_n 64317967_2359455420785586_6910069627225636864_n 64432127_2359455500785578_616294971951022080_n

Seminário debate o controle social das Agendas Ambientais

Realizado nos dias 6 e 7 de junho o Seminário Meio Ambiente e Gestão Social reuniu trabalhadores e ativistas do meio ambiente, representantes sindicais, do poder legislativo, de movimentos sociais, para debater o controle social das agendas ambientais, no Centro Universitário UNA, unidade Aimorés, em Belo Horizonte.

Os trabalhos da mesa de abertura, com o tema – Defesa do Meio Ambiente, Regionalização, Desenvolvimento Local e Mobilização Popular -, foram abertos pelo assessor parlamentar do deputado federal Patrus Ananias, Mauri de Carvalho.

A partir da perspectiva do território, constatou-se que há exclusão da população, mais especificamente de populações atingidas pela implantação de empreendimentos econômicos, como projetos minerários e construção de barragens, por exemplo.

Para Adriano Macedo, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Meio Ambiente de Minas Gerais (Sidsema), há por parte da população, desconhecimento dos processos legais. Ele também falou sobre a necessidade de uma atuação mais vigorosa do poder legislativo para estimular a participação social e ainda a efetiva delimitação de áreas preservadas.

A importância de uma assessoria técnica para populações impactadas por empreendimentos econômicos, ou envolvidas em conflitos socioeconômicos, decorre, entre outros motivos, da frágil legislação que não assegura o direito à terra, explicou a assessora jurídica popular, Ana Paula Santos. Ela defende a participação social inclusive na construção da metodologia de utilização dos recursos naturais nos territórios. A assessora atuou em Mariana, após a ruptura da Barragem do Fundão, em 2015.

O resgate dos Objetivos do Milênio, apresentados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) foi um caminho apontado pelo assessor parlamentar Eduardo Martins de Lima. Ele reconhece que a atuação do Poder Legislativo está aquém da necessária para enfrentar os desafios atuais, porém destacou o trabalho do deputado André Quintão, à frente da CPI de Brumadinho.

Uma conclusão em comum aos três palestrantes é que, ao contrário da sociedade, o mundo corporativo está organizado e preparado para enfrentar os desafios na utilização dos recursos.

O seminário prosseguiu no dia seguinte com as mesas: Mulheres e Meio Ambiente na Perspectiva Urbana; e Soberania Popular, Gestão Social e Meio Ambiente.

A primeira mesa formada somente por mulheres trouxe experiências sobre o cuidado com as nascentes, o consumo consciente, segurança alimentar, paralelos entre a evolução do feminismo e do movimento em defesa do meio ambiente.

A importância do movimento de catadoras de material reciclável e do cooperativismo, a luta pela preservação das nascentes urbanas, a atuação do Projeto Manuelzão no território do Rio das Velhas, os quintais nas periferias e a segurança alimentar foram pontos levantados pelas palestrantes. Esta mesa contou com a participação de Neli de Souza Silva Medeiros, Flávia Gonzaga, Lindaura Rosa dos Santos, Marilda Quintino Magalhães, Janaína Aparecida Martins e Elisa Porto.

O seminário foi encerrado com o debate sobre modos de exercício da democracia seja direta, participativa e comunitária, na relação a processos decisórios nos quais envolvam o meio ambiente e população. Foram apresentados exemplos de degradação urbana a partir de ocupação territorial em total discordância com conceitos que traduzam vida digna e respeito ao meio ambiente; e visões que a partir de dados estatísticos e conceitos traduzem os desafios ambientais atuais, como o baixíssimo acesso da população aos serviços de tratamento e coleta de esgotos. Temas como segregação espacial e intolerância também foram abordados.

Participaram da última mesa: Rafael Sarto Müller, Marcelo Gonzaga de Oliveira Júnior, Luís Gabriel Menten Mendoza e Luciana da Costa e Souza. O Seminário Meio Ambiente e Gestão Social foi resultado de parceria entre o Centro Universitário UNA, Sindsema e o mandato do deputado Patrus Ananias.

Para Mauri de Carvalho, eventos como este são relevantes para dar visibilidade aos desafios da agenda ambiental e contribui para a promoção dos direitos humanos. “Pode, em muito, cooperar para a construção de uma agenda socioambiental responsável e participativa. Possibilita diálogos, para nos aproximarmos cada vez mais do ideário de uma sociedade justa e ecologicamente íntegra e promotora da dignidade humana”, completa o assessor parlamentar.

62020118_2355486177849177_7519297934865727488_n 62073979_2355486234515838_8078853476848762880_n 62179856_2355486057849189_991722555830173696_n

Patrus: Quem se beneficia com a crise?

Quanto mais incompetente, nefasto e patético se mostra o (des)governo Bolsonaro, mais importante se torna a pergunta: quem se beneficia com o empobrecimento da população brasileira?

CPI do Crime da Vale em Brumadinho demanda documentos sobre informações omitidas pela Vale

A CPI do Rompimento da Barragem de Brumadinho quer esclarecer a RELAÇÃO ENTRE O ROMPIMENTO da barragem do Córrego do Feijão e a intenção da Vale de EXPANDIR A EXPLORAÇÃO de minério em Brumadinho (MG) e demais regiões de Minas ameaçadas por novas tragédias que poderiam ser evitadas, destacando a Barragem de Gongo Soco, em Barão de Cocais.

Neste sentido, a CPI requereu à Vale e à Agência Nacional de Mineração (ANM) cópia de estudos e processos de pesquisa minerária e requerimentos de lavra que tratam da ampliação das operações da Vale em Brumadinho e regiões impactadas pela lama proveniente do rompimento da barragem da Vale; em Barão de Cocais (MG), destacando Gongo Soco, Socorro, Palmital, Piteira e Tabuleiro; e na Serra do Gandarela, incluindo o Projeto Apolo.

Para os deputados da CPI, a análise desses documentos permitirá também verificar se a Vale está omitindo informações sobre o potencial de mineração das pequenas propriedades próximas às minas da Vale.

O requerimento registra notícias que, segundo a ANM, há potencial minerário em locais devastados pela tragédia e isso não foi informado aos donos dos terrenos e nem à Defensoria pública, que homologou acordos de indenização entre a Vale e os moradores de Brumadinho.

61754422_2349603775104084_4689233353763717120_n

Assinaram o requerimento os deputados Júlio Delgado (PSB-MG), Patrus Ananias (PT-MG), Padre João(PT-MG) e Rogério Correia (PT-MG).

Para apurar as responsabilidades pela tragédia criminosa de Brumadinho, que provocou a morte de centenas de pessoas, a CPI ouviu os funcionários da Vale, Joaquim Pedro Toledo, Gerente Executivo de Planejamento e Programação do Corredor Sudeste; César Augusto Grandchamp, geólogo; Artur Bastos Ribeiro, engenheiro técnico; e Renzo Albieri, Gerente de Geotenica.

Patrus Ananias recebe homenagem na UFMG

Recebi, com muita emoção, homenagem da reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, pelo meu apoio à instituição. Sou ex-aluno da universidade, formado pela Faculdade de Direito, e muito me aquece o coração ter esse reconhecimento.

É uma alegria saber que a universidade conseguiu fechar suas contas em 2018, e um orgulho saber que minhas emendas parlamentares contribuíram para isso. Mas é pouco, porque nossa luta é muito maior que isso. Acredito que a educação é uma política pública especial: um direito das pessoas, mas também uma ingrediente fundamental para o desenvolvimento do país.

Patrus é homenageado pela UFMG por seu apoio à universidade

Recebi hoje, com muita emoção, homenagem da reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, pelo apoio à instituição.

O reconhecimento foi estendido aos parlamentares da bancada mineira, que como eu destinaram recursos para a UFMG. Segundo a reitora, são esses recursos que permitiram fechar as contas em 2018. Para além das emendas, considero as universidades um espaço essencial para o desenvolvimento nacional. Todo meu apoio à Educação e à Pesquisa, públicas e de qualidade. 61932243_2346349922096136_6595161027355082752_n 61657911_2346349808762814_2119126354061426688_n 61720611_2346350208762774_3065146923104075776_n

#30MpelaEducação

Este é um convite às pessoas comprometidas com o Brasil e com as gerações futuras! Hoje é dia de ir às ruas para defendermos a escola pública! Hoje a aula é na rua!

Em BH o encontro é às 17h, na Praça Afonso Arinos.

#30MpelaEducação