Patrus: Quem se beneficia com a crise?

Quanto mais incompetente, nefasto e patético se mostra o (des)governo Bolsonaro, mais importante se torna a pergunta: quem se beneficia com o empobrecimento da população brasileira?

CPI do Crime da Vale em Brumadinho demanda documentos sobre informações omitidas pela Vale

A CPI do Rompimento da Barragem de Brumadinho quer esclarecer a RELAÇÃO ENTRE O ROMPIMENTO da barragem do Córrego do Feijão e a intenção da Vale de EXPANDIR A EXPLORAÇÃO de minério em Brumadinho (MG) e demais regiões de Minas ameaçadas por novas tragédias que poderiam ser evitadas, destacando a Barragem de Gongo Soco, em Barão de Cocais.

Neste sentido, a CPI requereu à Vale e à Agência Nacional de Mineração (ANM) cópia de estudos e processos de pesquisa minerária e requerimentos de lavra que tratam da ampliação das operações da Vale em Brumadinho e regiões impactadas pela lama proveniente do rompimento da barragem da Vale; em Barão de Cocais (MG), destacando Gongo Soco, Socorro, Palmital, Piteira e Tabuleiro; e na Serra do Gandarela, incluindo o Projeto Apolo.

Para os deputados da CPI, a análise desses documentos permitirá também verificar se a Vale está omitindo informações sobre o potencial de mineração das pequenas propriedades próximas às minas da Vale.

O requerimento registra notícias que, segundo a ANM, há potencial minerário em locais devastados pela tragédia e isso não foi informado aos donos dos terrenos e nem à Defensoria pública, que homologou acordos de indenização entre a Vale e os moradores de Brumadinho.

61754422_2349603775104084_4689233353763717120_n

Assinaram o requerimento os deputados Júlio Delgado (PSB-MG), Patrus Ananias (PT-MG), Padre João(PT-MG) e Rogério Correia (PT-MG).

Para apurar as responsabilidades pela tragédia criminosa de Brumadinho, que provocou a morte de centenas de pessoas, a CPI ouviu os funcionários da Vale, Joaquim Pedro Toledo, Gerente Executivo de Planejamento e Programação do Corredor Sudeste; César Augusto Grandchamp, geólogo; Artur Bastos Ribeiro, engenheiro técnico; e Renzo Albieri, Gerente de Geotenica.

Patrus Ananias recebe homenagem na UFMG

Recebi, com muita emoção, homenagem da reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, pelo meu apoio à instituição. Sou ex-aluno da universidade, formado pela Faculdade de Direito, e muito me aquece o coração ter esse reconhecimento.

É uma alegria saber que a universidade conseguiu fechar suas contas em 2018, e um orgulho saber que minhas emendas parlamentares contribuíram para isso. Mas é pouco, porque nossa luta é muito maior que isso. Acredito que a educação é uma política pública especial: um direito das pessoas, mas também uma ingrediente fundamental para o desenvolvimento do país.

Patrus é homenageado pela UFMG por seu apoio à universidade

Recebi hoje, com muita emoção, homenagem da reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, pelo apoio à instituição.

O reconhecimento foi estendido aos parlamentares da bancada mineira, que como eu destinaram recursos para a UFMG. Segundo a reitora, são esses recursos que permitiram fechar as contas em 2018. Para além das emendas, considero as universidades um espaço essencial para o desenvolvimento nacional. Todo meu apoio à Educação e à Pesquisa, públicas e de qualidade. 61932243_2346349922096136_6595161027355082752_n 61657911_2346349808762814_2119126354061426688_n 61720611_2346350208762774_3065146923104075776_n